Publicado em 07/06/2021
Buscas por quadrilha que atacou 2 agências bancárias em MT chegam no 3º dia
Criminosos que agem no estilo Novo Cangaço causaram pânico na população de Nova Bandeirantes, distante 997 km de Cuiabá. Cidade conta com a segurança de seis policiais militares e três policiais civis
Geral
Buscas por quadrilha que atacou 2 agências bancárias em MT chegam no 3º dia

As buscas pelos assaltantes envolvidos no ataque duas agências bancárias na sexta-feira (4) em Nova Bandeirantes, cidade de 20 mil habitantes localizada a 997 km de Cuiabá no extremo norte do estado, próxima à divisa com Amazonas e Pará, chegaram ao terceiro dia nesta segunda-feira (7).

Uma força-tarefa composta por 120 policiais, entre Batalhão de Operações Especiais (Bope)e oficiais de grupos especializados, faz buscas deste sábado (5) pela quadrilhaNenhum suspeito foi preso até o momento.

De acordo com a Polícia Civil, eles roubaram três veículos para praticar os assaltos. A quadrilha usou armas de grosso calibre como fuzis .30, espingarda calibre 12 e pistolas.

Equipes da Polícia Civil e da Polícia Militar da Alta Floresta, Nova Monte Verde, Paranaíta, Juína e da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Gerência de Operações Especiais (GOE), Ciopaer estão na região em busca dos suspeitos.

O assalto

Segundo a informações da gerente da cooperativa, por volta de 10h40, cerca de três criminosos entraram na agência e outros três ficaram do lado de fora. Eles ameaçaram as vítimas rendendo todos que estavam no local, inclusive o segurança armado.

Os suspeitos fizeram vários disparos dentro e fora da agência. Dois assaltantes acompanharam a abertura do cofre central e retiraram todo o dinheiro, sendo também realizada a abertura dos caixas eletrônicos.

O guarda de segurança e outras pessoas foram feitas reféns formando o ‘escudo-humano’, caracterizando a modalidade de roubo novo cangaço. O guarda foi levado pelos criminosos até a segunda agência onde era realizado outro roubo pelo mesmo grupo criminoso.

Nessa agência, os criminosos agiram da mesma forma, com a atuação de aproximadamente seis criminosos, três que entraram na agência e outros três que ficaram aguardando do lado de fora.

Segundo as informações, os suspeitos chegaram em três veículos e dispararam nas portas de vidro da agência, anunciaram o assalto e perguntaram pelo gerente.

Na frente da agência, os criminosos formaram o escudo humano para aguardar o tempo de 15 minutos que o gerente disse ser necessário para abertura do cofre.

Dois veículos foram roubados pelos criminosos logo após o roubo ao banco. Uma vítima foi levada pelos criminosos até uma ponte, onde foi liberada e os suspeitos colocaram fogo em uma caminhonete.

Outra camionete foi incendiada nessa mesma região, um pouco mais a frente, já na saída para o Distrito de Japuranã.

Os criminosos realizaram vários disparos por toda cidade e após o roubo seguiram sentido ao distrito de Japuranã. Duas pessoas foram baleadas durante o assalto, mas sem gravidade. Foram levadas ao Hospital Regional de Alta Floresta e já foram liberadas.

O prefeito de Nova Bandeirantes, César Augusto Perigo (MDB), disse que nunca havia ocorrido um assalto no estilo Novo Cangaço na cidade.

“Nunca vimos isso por aqui. Já houve o registro de um furto há algum tempo, quando entraram em um banco durante a noite e explodiram o caixa eletrônico. Um caso com extrema violência, como o que vimos nesta sexta-feira, nunca aconteceu na cidade”, disse ele.De acordo com a Polícia Militar, mais de 30 pessoas foram feitas reféns por 10 homens armados e que estavam usando roupas camufladas. Alguns moradores foram colocados nas carrocerias das caminhonetes usadas pela quadrilha.

Ainda segundo o prefeito, o município, que tem 21 mil habitantes, conta com a segurança de seis policiais militares e três policiais civis.

Ele contou que durante o assalto, foram disparados tiros em prédios públicos que ficam ao lado das agências bancárias que foram invadidas. “Atiraram na prefeitura e eu estava lá dentro”, disse.

No assalto, ao estilo Novo Cangaço, os criminosos renderam clientes e funcionários, utilizando-os como escudo humano em frente à duas agências de crédito.

Neste tipo de crime, os grupos armados costumam atacar os bancos no período noturno, mas, desta vez, o crime aconteceu durante o dia.

Em nota, a Sicredi informou que foram levados valores, mas sem detalhar a quantia total. Segundo a rede de crédito um vigilante da unidade também foi levado refém pelos assaltantes, mas acabou liberado.

Em função do assalto, ainda de acordo com a Sicredi, o prédio ficou danificado e permanecerá fechado até que os reparos sejam feitos. A data de reabertura ainda será comunicada.


Fonte: G1 MT
Texto: Por G1 MT
Fotos: Divulgação-Ciopaer
Todos os direitos reservados Colider Noticias